domingo, 20 de maio de 2012

NÓS QUE SOMOS TÃO RICOS

Nós que somos ricos, tão ricos quanto se pode ser, devíamos juntar as nossas vozes às deste jornalista mexicano cujo belo texto um amigo me fez chegar.

“Tenho a intenção de processar a revista "Fortune", porque fui vítima
de uma omissão inexplicável. Ela publicou uma lista dos homens mais
ricos do mundo, e nesta lista eu não apareço. Aparecem: o sultão de
Brunei, os herdeiros de Sam Walton e Mori Takichiro.
Incluem personalidades como a rainha Elizabeth da Inglaterra, Niarkos
Stavros, e os mexicanos Carlos Slim e Emilio Azcarraga.
Mas eu não sou mencionado na revista.
E eu sou um homem rico, imensamente rico. Como não, vou mostrar a
vocês: Eu tenho vida, que eu recebi não sei porquê, e saúde, que
conservo não sei como.
Eu tenho uma família, esposa adorável, que ao me entregar sua vida me
deu o melhor para a minha; meus filhos maravilhosos dos quais só
recebi felicidades, netos com os quais pratico uma nova e boa
paternidade.

Eu tenho irmãos que são como meus amigos, e amigos que são como meus irmãos.

Tenho pessoas que sinceramente me amam, apesar dos meus defeitos, e a
quem amo apesar dos meus defeitos.

Tenho quatro leitores a cada dia para agradecer-lhes porque eles lêem
o que eu mal escrevo.

Eu tenho uma casa, e nela muitos livros (minha esposa iria dizer que
tenho muitos livros e entre eles uma casa).

Eu tenho um pouco do mundo na forma de um jardim, que todo ano me dá
maçãs que iria reduzir ainda mais a presença de Adão e Eva no Paraíso.

Eu tenho um cachorro que não vai dormir até que eu chegue, e que me
recebe como se eu fosse o dono dos céus e da terra.

Eu tenho olhos que vêem e ouvidos para ouvir, pés para andar e mãos
que acariciam; cérebro que pensa coisas que já ocorreram a outros, mas
que para mim não haviam ocorrido nunca.

Eu sou a herança comum dos homens: alegrias para apreciá-las e
compaixão para irmanar-me aos irmãos que estão sofrendo.

E eu tenho fé em Deus que vale para mim amor infinito.

Pode haver riquezas maiores do que a minha?

Por que, então, a revista "Fortune" não me colocou na lista dos homens
mais ricos do planeta?


Armando Fuentes Aguirre (Catón)

2 comentários:

Silvia Mota Lopes disse...

:)
belo texto

Isabel Montes disse...

Por que razão esse homem que se diz «rico» não aparece nessa revista? Muito simples! Há a fortuna dos bens materiais e a fortuna dos bens não-materias e a revista «Fortune» apenas se interessa pela primeira, mas se fosse apenas uma revista a interessar-se sobre o «ter» estava o mundo muito melhor!
Bem-haja pela divulgação deste «rico texto»!