quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

A PORTA


Faz por agora 25 anos que escrevi "A Porta". Ainda é hoje, entre tudo o que escrevi, o livro que mais me entusiasma e emociona.

Tem muito que ver com uma infância e uma juventude em que saltitei de casa em casa e em que sonhava com uma onde ficasse, uma casa amiga, um sítio de consolo, onde coubesse tudo o que as palavras e a imaginação podiam fazer acontecer.

O meu grande amigo João Mota gostou do texto, transformei-o em texto de teatro e o João encenou-o com o talento que todos lhe admiramos. Fui ver um enaio há 15 dias e chorei que nem uma Madalena. Estou ansioso pela estreia no próximo sábado dia 1

É um texto que não tem uma idade-alvo. Ou melhor tem todas todas as idades-alvo. É dos 5 aos 555 anos.


1 comentário:

ACASO (ૐ) disse...

Grande Zé! Daqui te envio um dos nossos abraços que valem por três, na certeza de que um Homem com o teu talento só pode ser bem sucedido.

Quando quiseres passa nos meus remediosdoacaso.blogspot.pt

E toma os que quiseres. Não precisam de prescrição médica especial, não há risco de sobredosagem e os efeitos secundários são todos bons... Até já.