sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O CHEIRO DOS LIVROS



"OS LIVROS SÓ TÊM DOIS CHEIROS: O CHEIRO A NOVO, QUE É BOM, E O CHEIRO A USADO QUE É AINDA MELHOR"

Ray Bradbury, autor de muitos livros de ficção científica entre os quais o famoso e extraordinário "Farenheit 451", em que uma ditadura do futuro tem um corpo de bombeiros para queimar e destruir os livros. O romance foi levado ao cinema por François Trufault e teve como protagonistas Oskar Werner e Julie Christie

3 comentários:

Maria disse...

Muito ficava a ditudura incomodada com a cultura... como cá, a ditadura do passado...

Beijos

Teresa Fidalgo disse...

É totalmente verdade! Ambos são bons, mas o cheiro a usado é ainda melhor...

VERA DE VILHENA disse...

Lembro-me de ter visto esse filme ainda era uma rapariguinha: o final era bonito, iam parar a uma ilha e cada um memorizava um livro. Ficou-me a ideia da esperança, do reinício. Ainda bem que foi só um sonho mau que já passou.