domingo, 21 de fevereiro de 2010

"EXCESSO DE PAIXÃO"

Uma escola que não vou nomear foi alvo de uma dessas inspecções externas que andam a correr as escolas do país.

Não conheço o processo nem os objectivos dessas inspecções a fundo. Vou ouvindo comentários por aqui e por ali. E do que ouço parece-me, embora possa estar enganado, mas parece-me que estas inspecções terão como um dos seus objectivos contribuir para arrumar, enprateleirar, burocratizar, normativizar os comportamentos pedagógicos, retirando-lhes espontaneidade, diversidade e sonho.

Na tal escola que não nomeio, ao fim de três dias de inspecção, uma das conclusões tiradas pelos inspectores foi de que:



"OS PROFESSORES TINHAM REVELADO EXCESSO DE PAIXÃO"

É claro que eu sou poeta e que os poetas estão normalmente do lado do excesso de paixão.

Mas também sou professor e, como professor, sempre estive do lado do excesso de paixão Creio até que a competência pedagógica mora no lado do excesso de paixão e não no do excesso de alinhamento administrativa.

Por isso, daqui envio um grande abraço de amizade aos professores que demonstraram ou venham a demonstrar este "EXCESSO DE PAIXÃO". A poesia, a educação, os meninos, e o futuro possível desta pátria magoada agradecem.

5 comentários:

Maria disse...

Ainda bem que há esse "EXCESSO DE PAIXÃO" nos Professores e noutras profissões. Só assim entendo um bom profissional: com excesso de paixão pelo que faz. O que incomoda, e de que maneira, quem é incompetente e tem consciência disso.

Beijos

Margarida Graça disse...

Como se mede a paixão pelo ensino? Quais os níveis de apaixonamento adequados a cada um dos parâmetros de avaliação dos professores?
...

Este país atingiu os píncaros do caricato!

Abraço
Margarida

Teresa disse...

É evidente que estes senhores,não sabem conjugar o verbo ATERNURAR.
Adoram papéis,relatórios,actas...
a sua actividade preferida é mesmo "espiolhar" dossiês ao milímetro.
Por isso esta conclusão não consegue espantar-me nem sequer preocupar-me.
Vou continuar a amar desmesoradamente a minha profissão.Venha, quem vier!

Beijinhos

Teresa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
VERA DE VILHENA disse...

Então e depois como é que os senhores fazem? Atiram com os professores para o canto da sala, com orelhas de burro e dizem-lhes: "agora só saiem daí quando estiverem suficientemente desapaixonados!"...?
Não percebo...