domingo, 15 de abril de 2012

GUARDA CHUVAS DE VALONGO


A capacidade e a liberdade de expressão dos meninos do pré-escolar é frequentemente fantástica. Tenho visto também muitas educadoras a trabalhar magnificamente essa ária do desenvolvimento das crianças.

No 1º Ciclo, em muitos casos, a expressão plástica vai por água abaixo e torna-se monótona, desinteressante e mal trabalhada. Predomina a preocupação com a leitura, a escrita e a aritmética.

No 2º Ciclo, em alguns casos, a leitura é deixada para o/a professora bibliotecária e, nas aulas, é espartilhada pelos braços todo poderosos da necessidade de cumprir o programa, com as suas interpretações, reduções,resumos, mais os sujeitos e os predicados (já não se chama assim, pois não?, e outras formas de matar o prazer de ler ou de o reduzir ao consumo de textos esquartejados.


A liberdade de falar com tintas e cores, com palavras, com sons, corresponde a uma das primeiras necessidades da humanidade.

Vê-la assim bem trabalhada é um prazer para a vista.

Estes guarda-chuvas vêm d< EB1 da Estação, Agrupamento Valis Longus de Valongo. O que é que pode dizer? Viva e viva e viva a chuva!




2 comentários:

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada! :)
um abraço

Teresa disse...

Querido Amigo,

Os meninos pedem que lhe diga que estão encantados com o seu encantamento!

E claro, muito vaidosos por ver aqui os seus guardas chuvas!

Quanto ao resto...

Nem sei se alguma vez vamos conseguir explicar aos que querem secar-nos a alma e piratear-nos a ternura, que sem "guardas chuvas de se sonhar" nunca conseguiremos "fabricar brinquedos de palavras" e tudo o resto que realmente é importante...

Beijinhos.