quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

POETAS & MAÇONS - TEIXEIRA DE PASCOAES

Continuando a visita por poetas que eram simultaneamente maçons, teixeira de pascoaes com o seu lirismo cheio de uma espiritualidade telúrica.



TEIXEIRA DE PASCOAES (1877-1952)


OS MEUS OLHOS E UMA PEDRA

Porque é que vós, meus olhos, de repente,
Comovidos, ficais, a contemplar
Uma pedra qualquer, se toda a gente
Era incapaz de nela reparar?

Uma pedra gelada, inconsciente,
Que nada vê; mas vosso claro olhar
Cobre-a de tal ternura, que ela sente
Como um calor de vida a despontar...

E uma oculta visão misteriosa
Transparece na pedra, que, medrosa,
Avista um indeciso nevoeiro...

Ah, foi decerto assim que a luz dos céus,
A luz que vem do Sol e vem de Deus,
Ergueu da terra, um dia, o ser primeiro!

1 comentário:

Licínia Quitério disse...

Sem ousar comparações, acabo de escrever e publicar AMAR UMA PEDRA. Ele há coisas...