terça-feira, 23 de junho de 2009

A FORÇA DAS CANÇÕES




Andei à procura de uma foto dele. Uma mão amiga fez-ma chegar. Era o António Macedo. Quem se lembra? Fomos companheiros de sonhos e palcos, de noites e protestos, do gosto pela poesia e pela canção. Já se foi há uns tempos. Cantava ele e nós com ele:

"Canta canta amigo canta
vem cantar a nossa canção
tu sozinhos não és nada
juntos temos o mundo na mão"

E nós acreditávamos mesmo que cantando tínhamos o mundo na mão. Quem é que ainda acredita?

Eu cá, de vez em quando acredito. Mesmo que nada pareça confirmar essa certeza, acredito. Nos braços da canção, todos juntos... Ou mesmo que não estejam todos... Acredito. E repito:

"Canta canta amigo canta..."

6 comentários:

Maria disse...

Erguer a voz e cantar
é força de quem é novo...

Eu também acredito!
E se formos muitos de mãos dadas, bem apertadas, é mais fácil...

Beijos

Júlio Pêgo disse...

Cantar é uma libertação poderosa, terapêutica, diria mesmo. Mas cantar em grupo tem aquela força mágica, tão grande ou maior que o abraço do mundo.

Maria disse...

José Fanha,
"canta canta amigo canta..."
... hoje estarei num lugar onde haverá canções a muitas vozes :)

deixo-lhe uma mão-cheia de cerejas e o meu sorriso :)
mariam

Tiago Carvalho disse...

Eu, embora desafine um pouco e tenha um ritmo estranho, canto contigo

Lídia Borges disse...

Eu também acredito, ainda!

Cantei tanto esta canção que não faria sentido ter deixado de acreditar.

Cumprimentos

mariabesuga disse...

Quando eu deixar de acreditar... morri!...

e cantar... como uma ave ou um rio... também.

Canto canto amigo canto...