segunda-feira, 15 de junho de 2009

MÁRIO VIEGAS



Fomos amigos e companheiros em palcos bem como em lutas políticas e culturais. Trabalhámos juntos no "Baal" de Brecht e noutras peças de teatro.

Divertia-me muito com alguma da sua iconoclastia. Aprendi muito a ouvi-lo dizer poesia e honro-me de me crer devedor de uma linha de dezedores de poesia que vem de João Vilaret e passa pelo Zé Carlos Ary dos Santos, pela Céu Guerra e pelo Mário, entre vários outros.

Que saudade e que falta que o Mário faz para pôr um bocadinho a nu este país tão abandalhadito...

Aqui, a dizer dois textos de Mário Henrique Leiria ("Contos do Gin Tónico")

5 comentários:

viajantes disse...

quem bom que foi fanha, teres trazido aqui o mário. quase chorei.
que boa que é esta saudade.

Caçadora de Emoções disse...

Zá Fanha,
Que saudades do Mário Viegas...
Obrigada por esta partilha!

Beijos mil e um sorriso :)

Susete Evaristo disse...

Olá visitu-o muitas vezes embora não deixe marca da minha passagem hoje porém não posso deixar de lhe dizer que é muito bom poder voltar a ouvir a voz do Mário Viegas e que o seu blog foi indicado para o Premio Internazionale UTOPIE CALABRESI!
Veja em: http://aoutraquesoueu.blogspot.com
Muitos parabéns!!!
Um abraço

Olívia disse...

"Que saudade e que falta que o Mário faz para pôr um bocadinho a nu este país tão abandalhadito..."

Concordo completamente.

Cumprimentos

Licínia Quitério disse...

É sempre tão bom revê-lo. Tem tantos momentos geniais, não é?

Beijinho.