domingo, 25 de outubro de 2009

A MINHA AVÓ É QUE IA FICAR FELIZ

Pois é. A minha avó é que ia ficar feliz ao ver o nome do neto ser dado a uma Biblioteca.

Foi o que aconteceu na EB23 de Pombais, Odivelas, onde me escolheram para patrono da sua Biblioteca. Com inauguração oficial, placa de metal e tudo. Uma festa calorosa e doce. E eu, babado, pois claro, por me sentir tão integrado nesta família que vai crescendo pelo país fora e que procura espalhar por toda a parte a festa da leitura e o amor ao livro.



(A mesa da inauguração com a presença, entre outros, da Vereadora Fernanda Franchi em representação da Presidente Susana Amador)

A avó Berta Emília é que ia mesmo ficar toda satisfeita. Cresci com ela. E na sua casa havia livros e livros e livros. E foi ela que me contou histórias e me levou à leitura e à paixão pelos livros. Por isso, sempre que entro numa Biblioteca é como se entrasse na casa dela. Na casa de mim pequenino.




(Com a minha amiga Ana Manuela Gralheiro, filha do escritor Jaime Gralheiro e directora do Agrupamento de Escolas D. Dinis)

Já lá vão, com esta, 4 escolas que me deram a honra e o prazer de me escolher para patrono: a EB23 da Venda do Pinheiro, a EB1 nº 3 do Cacém, a EB1 do Olival Basto e, agora, a EB23 de Pombais.

Às vezes nã as visito tão frequentemente quanto desejava Mas estão sempre no meu coração.

3 comentários:

Leonor disse...

Parabéns, José Fanha!
A avó Berta ia ficar muito feliz por ver mais uma Biblioteca com o nome do seu querido neto mas também por ver como o neto segue tão bem os seus passos. Como semeia nos outros o gosto pelo livro e pela leitura. Não se fica indiferente quando se ouve o Fanha a falar dos livros, a contar histórias... Fá-lo de uma forma tão apaixonada e com tanta ternura que é mesmo contagiante.Obrigada e muitos PARABÉNS!

Leonor

Isabel Preto disse...

E bem merece, esta distinção!
Pois é com muito encantamento, que transmite este gosto pelo ler, ler por prazer e por amor.
E claro, tinha de haver "uma contadora de histórias" na infância!
Eu também tive o meu avô. Às vezes, contava-me histórias, que nem sei onde ia buscar.Acreditava eu que ele as inventava...Um destes dias, uma aluna trouxe-me uma dessas histórias...e pensei...como é que o meu avô sabia essas histórias?
Foi como se regressasse à infância.
Parabéns, José Fanha.

zmsantos disse...

Já lá vão 4! Porque será?...

Abraço.