sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

POR QUE NÃO AS PRAIAS?

As estradas já são assim. Porque não as praias?

8 comentários:

António Branco disse...

O objectivo final deverá ser a saída da porta de casa de cada um...

JOSÉ FANHA disse...

Aquele sítio em que saímos de casa e entramos na Europa, não é?

JOSÉ FANHA disse...

Aquele sítio em que saímos de casa e entramos na Europa, não é?

António Branco disse...

hehe. não sei se terá a ver com a Europa. mas, na verdade, o sonho europeu não foi o fraterno que se queria. na vez de caminharmos de mãos dadas, corremos para a porta dos saldos e atropelámo-nos, na ânsia de ficar com "coisas"... os que chegaram primeiro, idealmente, voltariam atrás e dariam a mão aos mais "atrasados" (segundo conceitos economicistas, mesmo esses questionáveis). mas em vez disso, portajaram a entrada na loja...
...não sei.
que 2012 seja um ano fraterno. de outro modo a Europa não será.

Licínia Quitério disse...

Apesar do pesadelo de todas as portagens que nos querem impor, desejo que o ano novo te traga paz, amor e sorrisos.

Um beijo.

Promotores de Leitura da BE/CRE da ESBF disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
susanag disse...

Não lhes dê ideias, caro Fanha!
aquelabraço

susanag disse...

Não lhes dê ideias, caro Fanha!
aquelabraço