terça-feira, 21 de outubro de 2008

ILHA DE MOÇAMBIQUE




Não é a pedra.
O que me fascina
é o que a pedra diz.

A voz cristalizada,
o segredo da rocha rumo ao pó.

E escutar a multidão
de empedernidos seres
que a meu pé se vão afeiçoando.

A pedra grávida
a pedra solteira,
a que canta, na solidão,
o destino de ser ilha.
O poeta quer escrever
a voz na pedra.
Mas a vida de suas mãos migra
e levanta voo na palavra.

Uns dizem na pedra nasceu uma figueira.

Eu digo: na figueira nasceu uma pedra.


Mia Couto

4 comentários:

Menina_marota disse...

"Com o Prémio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras."

Agradecia que passasse pelo MM para recolher o Prémio que foi atribuído a este Blogue.

Um abraço ;)

Como se pode comentar Mia Couto?
Grata pela partilha.

Vekiki disse...

Mia Couto é um senhor da escrita, de uma palavra inventada em cad escrita. Ofereci este livro à minha Mãe. hei-de comprá-lo também para mim :-)

Maria disse...

A maravilha da poesia
de Mia
nesta biublioteca.
Obrigada

Caçadora de Emoções disse...

Mia Couto é Grande, extraordinário!
Nem existem as palavras certas para escrever um comentário. Ele está para além disso.

Abraços :)