domingo, 18 de janeiro de 2009

ARY DOS SANTOS - FAZ HOJE 25 ANOS



Faz hoje 25 ano que o Zé Carlos nos deixou. Ele era assim:


JOSÉ CARLOS ARY DOS SANTOS (1937 - 1984)




SONETO PRESENTE

Não me digam mais nada senão morro
aqui neste lugar dentro de mim
a terra de onde venho é onde moro
o lugar de que sou é estar aqui.

Não me digam mais nada senão falo
e eu não posso dizer eu estou de pé.
De pé como um poeta ou um cavalo
de pé como quem deve estar quem é.

Aqui ninguém me diz quando me vendo
a não ser os que eu amo os que eu entendo
os que podem ser tanto como eu.

Aqui ninguém me põe a pata em cima
porque é de baixo que me vem acima
a força do lugar que for o meu.

4 comentários:

Maria disse...

Inesquecível este poema na voz do Zé Carlos em Março de 74, no Coliseu!
Triste, muito triste, a noite de há 25 anos, na SPA...

Beijos

Caçadora de Emoções disse...

Um poema marcante, extraordinário.
Bem haja por ter trazido Ary dos Santos aqui...
Bom início de semana.

Abraço terno e um sorriso :)

Vekiki disse...

Zé, também o tenho hoje no meu blogue, dedicado a uma Amiga (Midões de apelido) que mo apresentou nas letras de músicas de tantos Amigos que o cantaram!
Bjs

Rita Carrapato disse...

Fanha

Que se homenageiem os que vale a pena serem homenageados. E este tinha que o ser. E o Fanha fá-lo e fê-lo hoje dando rosto à homenagem com este límpído SONETO PRESENTE!...

O que Ary escreveu ontem é sobeja e justamente (re)conhecido.

Que nos diria e que escreveria ele hoje?

Um abraço

Rita