sexta-feira, 24 de abril de 2009

OS VAMPIROS



Há canções que se aguentam assim, vivas e revivas através dos tempos.

Os muros caíram. As ideologias morreram, dizem. O ultra-liberalismo tomou conta de tudo e deixou-se ir ao fundo gloriosamente.

O futuro não sabemos qual será. Apenas sabemos que de um lado estará sempre a liberdade, a solidariedade, a fraternidade, a capacidade de sonhar e criar. E do outro... OS VAMPIROS.

7 comentários:

Maria disse...

Eterna é a cantiga. Como eterno é quem a cantou, assim.

Um beijo e um cravo Vermelho

o escriba disse...

Amigo José Fanha

Deixo-lhe um cravo de Abril e um abraço de Liberdade!

Esperança

Mar Arável disse...

25 de Abril

de novo

elvira carvalho disse...

Zeca foi o grande ídolo da minha juventude.Esta é uma canção que está cada vez mais actual.
Longe na altura da revolução não vivi nada da alegria de que falam, no 25 de Abril, antes outras preocupações.
Não concebo uma vida feliz sem Liberdade, e sei bem como era antes do 25 de Abril.
Mas Liberdade sem pão, também não faz ninguém feliz e vejo como vive grande parte do país.
Penso que os objectivos do 25 de Abril, e daqueles que o planearam e executaram ficaram só pela metade, e mesmo essa metade, vejo-a cada dia mais ameaçada, pelos falsos democratas que nos governam.
Um abraço e bom fim-de-semana

Caçadora de Emoções disse...

Zé Fanha,
Visito-o para lhe deixar um cravo vermelho...
Mais um beijo grande e mil sorrisos :)))
Tudo de bom.

Moura Aveirense disse...

Que engraçado, também coloquei este vídeo no meu blogue :) Um cravo para si também!

Saudações, Moura Aveirense

mariam disse...

J.Fanha,

_____ liberdade ______ . ajudada a conquistar por H valorosos (J.Fanha incluso):)

um grande abraço amigo e o meu sorriso :)
mariam