quinta-feira, 7 de maio de 2009

JOAQUIM MESTRE



Joaquim Mestre é um nome conhecido e admirado por toda a gente que vive à volta dos livros, das bibliotecas e da aventura ainda titubeante mas já tão calorosa que é o esforço pela promoção do livro e da leitura.

Escritor e director da Biblioteca Municipal de Beja, Joaquim Mestre morreu de cancro aos 54 anos, na noite de domingo.

Exercia as funções de Chefe da Divisão de Bibliotecas e Museus na Câmara Municipal de Beja e foi, segundo responsáveis do município, um dos grandes impulsionadores do novo conceito de biblioteca que surgiu em Beja no início dos anos 1990.

Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e pós-graduado em Ciências Documentais, o escritor foi galardoado no ano passado pela colectânea de contos «Breviário das Almas» (Oficina do Livro) com o Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca, instituído pela Câmara de Santiago do Cacém.

Não tive o prazer de conviver com ele. Ter-nos-emos cruzado algum dia nas esquinas da vida e dos livro. É possível. Mas não estou certo. Tinha por ele um imenso respeito e admiração. Pertenci ao júri do Prémio Manuel da Fonseca que o atribuiu à sua última obra, o «Breviário das Almas». Fico feliz por supôr que isso lhe tenha trazido alguma satisfação ou contentamento. É um belo livro com uma escrita poética e densa que merece muito ser lido.

Os livros das nossas queridas bibliotecas vão certamente abrir as suas páginas para deixar passar o Joaquim Mestre com honra e agradecimento.

3 comentários:

Júlio Pêgo disse...

Felicito Queridas Bibliotecas por dar a conhecer o falecimento de um escritor que não fez notícia nos órgãos de informação habituais. É deste modo que o poder da blogosfera se afirma.

Mar Arável disse...

Um abraço

pela tua partilha

vaandando disse...

...não o conhecia , mas li o seu breviário num folêgo , e adquiri sem saber da sua morte , a imperfeição do amor ....
lendo-o , prestamos-lhe homenagem ....
cordialmente
_______ JRMarto