quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

E SE FOR A FELICIDADE?

Fico sempre muito incomodado quando pergunto: "Como é que isso vai?" e me respondem: "Devagarinho..."

É preciso andar atento. Não deixar a vida a esvair-se devagarinho como areia por entre os dedos. Há comboios que nos podem levar muito longe se não ficarmos a vê-los passar na gare das estações desta vida.

É disto, creio eu, que fala esta notável tirinha da Mafaldinha desenhada pelo Quino.

8 comentários:

Tiago Carvalho disse...

Isso mesmo ... mergulhar nela a fundo. Abrir sempre a porta, faz favor de entrar, estamos em casa para a receber.

Licínia Quitério disse...

Ter a porta aberta, apanhar o comboio, o avião, subir a rua, trepar à árvore nem que seja a sonhar, gostar de verbos transitivos.

Grande Mafalda que tanto nos ensina.

Um beijo.

Teresa disse...

O melhor mesmo é manter sempre as portas completamente escancaradas!

Sílvia Alves disse...

A felicidade bate à porta, todos os dias, em pancadas leves e breves que não são ouvidas no meio do ruído dos dias e de lamentações pelo seu atraso.
E, como para tudo há uma história, aqui fica:"O Homem Sem Sorte"
http://www.youtube.com/watch?v=uFCpoST1psk

Margarida Tomaz disse...

Ternurenta essa Mafaldinha, sempre à escuta, a mostrar-nos que a felicidade está aqui, ao pé de nós. Mas eu, em certos dias, fico apreensiva é quando me perguntam como é que isso vai. Para não parecer mal educada, devolvo "isso" com um despachado: vai andando!

Promotores de Leitura da BE/CRE da ESBF disse...

É essa capacidade para se deixar enternecer pela vida e pelas pesssoas que transparece na comunicação e encanta o público jovem e adulto.
Foi muito bom ter-te cá na Biblioteca, como podes perceber pelos comentários dos alunos publicados no blogue de leitura.
http://lernaoecrime.blogspot.com/2012/01/ler-e-conversar-com-jose-fanha-na.html
Até breve
Fátima

Um abraço

Manuela Caeiro disse...

José Fanha, hoje vim aqui fazer uma visita... Ouvi música, comovi-me, espreitei livros, vi anfiteatros de meninos... e assisti à alegria do escritor diante dos seus pequeninos leitores... Eu, mediadora voluntária, também não prescindo dos seus livros, dos seus versos, para animar sessões em bibliotecas escolares... Saúde! Tempo para ler e escrever! Seja feliz! BOM ANO!...

Unknown disse...

TRUZ...TRUZ !