domingo, 15 de fevereiro de 2009

UMA MENINA COM UM LIVRO





“Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo. Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com o seu amante.”

Clarice Lispector, escritora brasileira, “A descoberta do mundo”

2 comentários:

Licínia Quitério disse...

Gosto muito desta Clarice. E também da outra :))

Alma disse...

Inspector ao assumir que "era uma mulher com o seu amante" retracta o amor paixão, a função erótica em contraponto com a função maternal.
Alma