segunda-feira, 16 de março de 2009

LA PORTA



Logo a seguir à edição portuguesa em 1990 de "A PORTA", o meu grande amigo e poeta napolitano Vittorio Placella traduziu-a para italiano. E "LA PORTA" saiu em itália na editora Adriano Salami de Florença com delicadíssimas ilustrações de Simonetta Funel.

E recordo o momento em que o menino relata a chegada dos pais à casa nova... Que de casa só tinha a Porta...

"- Aqui não há casa nenhuma! - insistiu a minha mãe.

- Mas há uma porta! - afirmou o meu pai, atravessando-a cheio de simpatia de um lado para o outro- - Se não houvesse, não podíamos entrar nem sair.

Parece-me que ele tinha razão, embora não se percebesse muito bem para que é que servia uma porta que dava para sítio nenhum.

Talvez fosse divertido entrar e sair e sair e entrar por uma porta tão invulgar e sozinha no meio de nada.

Isso era quanto lhe bastava. À minha mãe, não. Sentia-se perdida e ficou, de repente, muito triste.

O meu pai não a podia ver assim.

- Uma porta é um bom começo. O resto arranja-se com facilidade."

4 comentários:

Tiago Carvalho disse...

Não sabia desta tradução, que bom, o livro é mesmo bom. Ainda hoje me lembro de passagens do livro, porque acontecem no nosso dia a dia, eu identifico-me com esse pai que faz das portas casas e esquece-se das outras pequenas coisas...

Rita Carrapato disse...

Surpresa, a tradução!

É um dos contos que já li e reli e sei que voltarei a ler. É um conto que nos afaga e em troca afaguei-o com os meus sublinhados e as muitas anotações.

Já muito à beirinha do fim, podemos ler (da Princezinha e do Xico Parafuso):

"Ela percebeu como é bom que as paredes dos castelos sejam, por vezes, bem reais e sólidas, metade de pedra, metade de sonho. Ele, pela mão dela, tem descoberto muitas coisas em que nunca tinha reparado ou não queria reparar: a conversa dos pardais ao fim da tarde...e tantas, tantas e tão lindas coisas mais."

Se a "porta tivesse casa" seriam possíveis estas descobertas?

Um abraço

Rita

argumentonio disse...

ena, da traduzione é que não sabia!

parabéns a rodos e as casas fazem-se, assim haja portas que nos levem a quem queremos bem!!

abraço!!!

mariam disse...

José Fanha,
Parabéns! merecidos. :) e obrigada por generosamente partilhar...

deixo um raminho de frésias, um abraço e o meu sorriso :)