domingo, 20 de julho de 2008

MENDES DE CARVALHO (1927 - 1988)



Mendes de Carvalho

"O autor nasceu no Alcaide, pequena aldeia que aparece nos mapas decentes. Ali aprendeu as primeiras letras. Na capital, as segundas, as terceiras e outras. Mas foi de facto em Lisboa que, tendo começado a sonetar antes de romper a barba, se tornou afinal anti-sonetista".

Neste texto fala Mendes de Carvalho de si próprio com a ironia e o gosto pela sátira que colocou em muito da sua obra que teve especial expressão no teatro e na poesia.

Foi um homem de sete instrumentos, sempre muito próximo de grupos teatrais ("Casa da Comédia", "Teatro Estúdio de Lisboa e "Clube Palco"), orientou páginas literárias e colaborou em jornais e revistas literárias com poemas, artigos e ensaios sobre literatura e artes plásticas.

A "Cantiga dos ais" que abaixo publico conhecia-a na voz certeira do Mário Viegas.

Fotografia do Mendes de Carvalho não consegui encontrar. Mas encontrei um blog cujo título se inspira no título de um dos seus livros ("Poemas de Ponta & Mola"): pontaymola.blogspot.com , que tem como epígrafe um verso do poeta: "...neste país tudo é fado doa a quem doer até o pessoa dá para gemer."

2 comentários:

daniel disse...

Jsé Fanha

Tive muito gosto em recordar Mendes de Carvalho.

aniel

MATOS disse...

Armindo Mendes de Carvalho, que conheci no Alcaide, não nasceu naquela aldeia, mas em Lisboa. O Poeta intitulava-se Poeta do Alcaide, porque ali viveu parte da sua infâncias e ali voltava sempre que podia. Está sepultado no cemitério novo do Alcaide, junto de seus pais. As gentes do Alcaide prestaram-lhe homenagem em 1994, em sessão litarária, com descerramento de uma lápide na casa oude residiu. Só falta o seu nome numa rua.
Os seus primeiros versos publicáveis("Timbre" - 1948)têm temática alcaidense.